Quer enriquecer? Então pare de acreditar nestas mentiras

São Paulo – Às vezes é normal mentir para si mesmo para não ter que pensar nas tão temidas finanças. As pessoas querem dinheiro, mas cuidar dele pode parecer difícil ou chato. Por isso, pense racionalmente: você precisa dele para realizar alguns objetivos na vida. Então não se sabote.

Veja a seguir oito mentiras tidas como verdades que te afastam do caminho do enriquecimento.

1. Sou ruim em matemática, por isso não sei controlar minhas finanças

Entenda que educação financeira tem a ver com sonhos, mais do que com números. É uma ciência humana, e não exata, porque lida com a mudança de hábitos do cotidiano.

“Olhe para as pessoas que nem são alfabetizadas, mas que conseguem ser independentes financeiramente. Basta ter um comportamento correto para realizar desejos”, observa Reinaldo Domingos, mestre em educação financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

O mais importante nessa história é definir sonhos concretos. “Preciso guardar dinheiro para quê? É a ausência de sonhos que causa o descontrole financeiro. Antes de fazer contas, é preciso mudar o modelo mental”, diz o educador.

Ter um sono tranquilo e sair das dívidas pode ser um começo. Depois disso, o segundo passo é saber quanto custam os sonhos, quanto é preciso guardar para realizá-los e por quanto tempo.

Na hora das contas, se você achar que realmente não consegue fazê-las sozinho, os educadores financeiros estão aí para ajudar. “Queremos ensinar as pessoas a resolver seus problemas sozinhas, e não calcular tudo para elas”, explica Domingos.

2. É cedo demais para começar a guardar dinheiro para a aposentadoria

Nunca é cedo demais para começar a acumular dinheiro, visando a independência financeira no futuro. Para ter uma aposentadoria sustentável, é recomendável guardar parte da renda mensal durante toda a vida.

“O tempo é um aliado, mas ele pode se tornar um inimigo se você deixar para investir tarde demais”, explica Domingos, da Abefin.

Quanto mais cedo você começa, menos dinheiro você precisa depositar e maior o rendimento, pois as aplicações financeiras rendem a juros compostos. Em uma simulação fictícia, se você aplicar 1.000 reais e esse dinheiro render 1% ao mês, você terá 1.010 reais. No próximo mês, o 1% será aplicado sobre esse valor, e não sobre os 1.000 reais.

Aplicações financeiras de longo prazo são as mais indicadas para guardar dinheiro para a aposentadoria, como os títulos públicos Tesouro IPCA, que pagam uma taxa de juro, mais a variação da inflação, e a previdência privada, como indica Domingos.

No entanto, se optar pela previdência privada, escolha o plano com cuidado, já que eles podem ter altas taxas de carregamento e administração e podem penalizar o investidor caso o dinheiro seja resgatado antes do prazo previsto.

3. Vou começar a investir, mas quando eu tiver um aumento no salário

Enquanto o aumento do salário não chega, você perde meses ou anos de rendimento em uma aplicação financeira. “As pessoas desistem antes mesmo de começar. Não importa quanto você guarda, importa manter a motivação”, incentiva Domingos.

Segundo o educador financeiro, sempre dá para guardar dinheiro, não importa o tamanho do seu orçamento. Como em um tratamento médico, primeiro é preciso fazer o diagnóstico. Durante um mês, com a ajuda de aplicativos ou de planilhas financeiras, descubra quanto você gasta e quais são suas principais despesas.

Depois, faça uma faxina financeira, elegendo onde dá para economizar. “Sempre dá para reduzir 30% do orçamento de qualquer família”, garante Domingos.

Passar a pesquisar melhor os preços, pedir descontos e não comprar por impulso são hábitos fáceis que podem transformar sua rotina, como indica o educador financeiro Álvaro Modernell, sócio da Mais Ativos.

Para eliminar desperdícios, ele sugere servir no prato apenas o que será consumido, não deixar comida sobrar na geladeira e só ter no armário as roupas realmente necessárias.

4. Ficar rico está fora do meu alcance

Não é fácil ficar rico, mas também pode não ser tão difícil quanto parece. Comece fazendo uma reserva financeira, que possa tornar sua vida mais confortável.

Também é importante pensar que planejar a carreira é crucial para, quem sabe, acumular muito dinheiro. Você precisará estabelecer estratégias do que fazer para conseguir ganhar mais. “Olhe para o seu chefe e aprenda a fazer o que ele faz”, recomenda Domingos.

Outro mito é que é preciso sofrer no trabalho para conseguir acumular muito dinheiro. “As pessoas acham que ser feliz no trabalho é praticamente impossível, mas não é. É super possível fazer dinheiro com aquilo que se ama”, incentiva a coach Paula Abreu, criadora do programa online Detox de Dinheiro.

As chances de ter dinheiro com uma profissão pela qual você é apaixonado são maiores, segundo Paula. “Quem trabalha com amor consegue fazer melhor, com brilho no olho. As pessoas têm vontade de trabalhar junto, de comprar e de contratar os serviços”, explica.

5. Uma parcelinha a mais não faz diferença nenhuma

Uma compra parcelada aqui, outra ali, e quando a fatura do cartão de crédito chega vem aquele susto. Você nem percebeu, mas pode estar com dificuldades para pagar as dívidas que assumiu. Sem controlar direito, os gastos se tornam invisíveis.

É fácil se perder nas parcelas, por isso, William Eid, coordenador do Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV), recomenda pagar à vista sempre que possível.

Não é vergonha nenhuma pedir desconto. “Junte todo o dinheiro e peça desconto à vista. Não mostre tanto interesse e chore descontos. Depois de meia horinha, o produto é seu com preço menor”, sugere Eid.

Se parcelar for realmente necessário, lembre-se de incluir as parcelas na planilha de despesas e saiba exatamente quanto pagará de juros. A Calculadora do Cidadão, do Banco Central, pode ajudar nessa tarefa.

6. Investir é muito difícil e sou muito inexperiente para isso

Nada disso. Pode ser complicado ganhar dinheiro com investimentos, ao assumir riscos demais, mas esse é o caso da minoria dos investidores brasileiros. Manter o dinheiro rendendo acima da inflação, sem deixá-lo parado na conta, é o objetivo da maioria dos investidores, como lembra Modernell, da Mais Ativos.

Aplicações de renda fixa, que costumam ser mais conservadoras e têm sua forma de remuneração predefinida, não são difíceis. Basta um pouco de leitura na internet para entender como elas funcionam. “Você pode investir sozinho, sem gastar com consultores desnecessariamente”, orienta Modernell.

Mas cuidado com o excesso de autoconfiança, que pode fazer você perder dinheiro. Informe-se bastante antes de escolher as aplicações. Além disso, para investir valores acima de 50 mil reais, Modernell recomenda contar com a ajuda de um consultor financeiro, já que as opções de aplicações são mais fartas e podem ser mais sofisticadas.

7. Eu deveria comprar uma casa, porque é isso que pessoas bem-sucedidas fazem

Muitas pessoas que têm casa própria têm também um financiamento, e a casa só será delas de verdade quando todas as parcelas forem quitadas. Para isso, é preciso calcular direitinho se será possível arcar com todas as parcelas, incluindo os juros nessa conta, como lembra Modernell, da Mais Ativos.

Comprar a casa própria pode ser um sonho realizado, desde que você consiga quitar o financiamento com tranquilidade. Senão, vira um pesadelo. “Não é isso que define se você está bem de vida ou não. O melhor é ter dinheiro suficiente para poder escolher se você vai comprar ou alugar um imóvel”, diz o educador financeiro.

O sentimento de realização é algo muito subjetivo e, por mais que exista no Brasil um senso comum de que tem sucesso quem tem casa própria, essa não é uma verdade absoluta, segundo Paula Abreu, do Detox de Dinheiro.

“Para alguns, ter dinheiro significa ter estabilidade e segurança. Para outros, significa ter liberdade para poder viver aventuras”, observa Paula.

8. Pessoas ricas são más e gananciosas

Esse é um pensamento presente no inconsciente dos brasileiros, mas que impede muita gente de ganhar dinheiro. Como explica Paula, do Detox de Dinheiro, há uma crença na cultura brasileira de que pessoas ricas são ruins e gananciosas, por conta do histórico de corrupção do país.

“O dinheiro não torna ninguém bom ou mau, é como se fosse um megafone. Só potencializa o que as pessoas já são”, diz a coach. Mesmo no inconsciente, esse pensamento de que ricos são maus faz com que as pessoas se autossabotem e desistam de ganhar dinheiro. Não caia nessa.

Fonte: Exame



Compartilhe essa postagem:

Comentários